Aos integrantes do Agronegócio

A Oficina do Desenvolvimento realizará uma LIVE dia 3 de novembro das 18,30 às 19,30horas com novas propostas para:

          – a produção de alimentos, locar e regional,

          – melhoria da alimentação servida pelos municípios com reflexo na população,

         – e ações para um Meio ambiente melhor.

O objetivo é engajar cada vez mais Prefeitos e Vereadores nas questões do Agronegócio para o fortalecimento e maior reconhecimento das nossas atividades e isto através de programas fáceis de serem implementados e com enorme repercussão para a qualidade de vida da população envolvida e para o meio ambiente.

Convidamos todos a participarem e indicar para os seus candidatos e estamos esperando sugestões pois em fevereiro estaremos fazendo um mais completo para Prefeitos, Vereadores, Secretários Municipais, para Engenheiros, demais interessados

Nesta LIVE contaremos com patrocinadores e poderemos colocar vídeos de 30 segundos e de um minuto das empresas participantes

Para os Candidatos e para quem deseja o desenvolvimento de seu município

Como turbinar o final da sua campanha com novas propostas:      

           -para produção de alimentos, local e regional,

           -melhoria da alimentação servida pelos municípios com reflexo na população,

           -e ações para um Meio ambiente melhor.

Vamos abordar ações nestes temas:

1= Preparação centralizada de todo alimento gasto pelo município sendo os setores que mais se utilizam de alimentos, Educação na Merenda escolar; a Promoção social, cestas Básicas e terceira idade; saúde; esportes.

 A  centralização promove  economia,  melhor qualidade, geração de renda e empregos devido as compras serem efetuados no município ou na região, e foco no objetivo final para os setores que não mais se preocuparão com  o fazer comida ou compra-la pronta; a  Educação centrada somente na educação e saúde no cuidado da população em saúde e não em nutrição .

 A produção programada pelos agricultores que passarão a ser os fornecedores permitirá a diversificação de culturas e criações, gerando mais renda para os pequenos e médios agricultores locais e ainda promovendo a substituição de produtos Sucos artificiais por naturais diversos, mandioca substituindo batata onde não há cultivo de batata e outros

Com uma parte da colheita já com destino contratado os agricultores poderão começar atender novos mercados, como restaurantes, grupos de compras etc.

2=Instituir ações para o aumento da produtividade na produção agrícola e animal

Programa de incentivo ao uso de calcário e do gesso

Piscicultura e outras criações

Resíduos urbanos destinados para os fornecedores dos produtos agrícolas:  Borra de café, casca de ovos, resíduos de panificação e de feiras de hortifruti, resíduos do poder público como corte de gramas, podas de arvores, sobras da cozinha

3=Turismo rural: Inovar instituindo roteiros para acompanhamento de produções ou colheitas

4= Meio ambiente

Conservação e recuperação de nascentes e seu mapeamento

Conservação do solo rural e margens de estradas

Erradicar erosão em áreas de expansão urbana

Reflorestamento em margens de estradas e plantar maciços florestais urbanos

5=Inspeção sanitária animal e vegetal por consorcio dos municípios

6= Implantação de água quente com solar

7=Estrutura para os municípios valorizando parcerias

Equipe de trabalho própria e parcerias:

Sescoop, Senar, Sebrae, ETC, Faculdades, Instituições de ensino e de pesquisa

8= Importância do Plano de Desenvolvimento Rural Sustentável e Integrado para o desenvolvimento dos municípios

9= Programas para grandes municípios quase sem áreas rurais

Para novos programas serem implementados em 2021 sempre será necessário aprovar emendas ao Plano Plurianual, lei de diretrizes orçamentária e ao orçamento, seja a iniciativa do Prefeito ou de Vereador

Guido José da Costa Engenheiro Agrônomo pela ESALQ-USP 1975

Consultor com Expertise em Desenvolvimento Local;   Participou das 3 edições da ESALQSHOW, pela Araiby Feiras e Eventos; Secretário de Desenvolvimento Social do município de Altinópolis; Diretor Administrativo e de Agricultura e Meio Ambiente do município de Santa Rita do Passa Quatro; Presidente da Associação de Engenheiros Agrônomos do ESP por 5 anos, tendo dirigido junto com o Engenheiro Agrônomo Cristiano W. Simon o projeto piloto de destino de embalagens vazias de Agrotóxicos; Programa de Plasticultura , Movimento SOS Solo; entre outros; Participou, na Araiby, da maior parte da AGRISHOW; Participou do Conselho da CODASP e do início da AGRISHOW, Diretor de Pescado da CEAGESP, Orientador de Cooperativas de Eletrificação rural nas regiões de Jales e Promissão, pelo DAEE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *